Cara, não seja um babaca

back

Ok, você é um ser superior, além dos outros mortais. Assiste a filmes com legendas, decorou o nome de personagens coadjuvantes de Star Wars e não escuta sertanejo universitário. Como uma pessoa iluminada, você faz parte de um clube exclusivo e secreto, no qual usa nomes fictícios e faz coisa incríveis que não costuma fazer na vida real: o clube do larp. Bem, mesmo sendo alguém tão especial, tenho umas palavrinhas para você.

O larp é uma experiência colaborativa. Isso significa que, para acontecer, as pessoas precisam trabalhar juntas. Se você não faz sua parte ou atua em descompasso com os demais, o larp fica comprometido. Se faz isso deliberadamente, está desrespeitando o tempo, o trabalho e a confiança que os outros participantes – organização e público – empenharam no larp. Em resumo, está sendo um babaca.

Recentemente, presenciei 3 comportamentos bastante babacas ocorridos em larps. Gostaria de comentar um pouco sobre cada um deles.

1. Não ler sua própria ficha de personagem

Em alguns larps, os personagens são previamente elaborados pela organização e entregues com antecedência aos participantes. Preparar um personagem consiste em elaborar sua história e suas relações com os demais, desenvolver sua jogabilidade e estruturar uma apresentação textual clara, coerente e instigante para o participante. Ou seja, consiste em bastante trabalho.

Se você vem para um larp sem ter lido direito sua ficha de personagem, você está sendo um babaca. Em primeiro lugar, está desrespeitando o trabalho que a organização teve em preparar esse personagem para você. Elaborar e aplicar um larp não é tomar cerveja ou assistir a um filme de super-heróis. Exige trabalho e tempo. Se você recebe um personagem e não se importa em ler com atenção sua ficha antes do larp começar – mesmo que seja 15 minutos antes do início – por que deveríamos nos importar em entregá-lo para você?

Em segundo lugar, quando não lê com atenção sua ficha de personagem você está sendo um babaca com os outros participantes. Personagens pré-elaborados, muitas vezes, possuem relações entre si descritas em sua própria ficha e se você não a lê com cuidado, acaba não sabendo ou entendendo quais são essas relações. Consequentemente, você atrapalha a experiência das pessoas cujos personagens se relacionam diretamente com o seu.

2. Desconsiderar as informações da ficha de personagem

Se você leu sua ficha de personagem, mas decidiu ignorá-la, você ainda está sendo um babaca. Continua desrespeitando o trabalho da organização e prejudicando a experiência dos demais participantes.

Personagens pré-elaborados têm suas biografias, personalidades, motivações e relações estruturadas tendo em vista o conjunto do larp. Quando você desconsidera essas informações, quebra a harmonia necessária para que todos tenham uma experiência satisfatória.

Se você recebeu um personagem cuja meta é deixar o buraco onde se encontra e partir para um lugar melhor, decidir sem mais nem menos que ele agora deseja não só continuar nesse buraco, mas se tornar o senhor dele, prejudica a experiência de outros participantes que estão justamente atrás de alguém para tirar desse buraco, por exemplo.

Ignorar a ficha de personagem não faz de você um grande jogador, capaz de improvisar qualquer papel a despeito da história proposta pela organização. Na verdade, faz de você um babaca que não se dispõe a trabalhar em equipe e aceitar os desafios oferecidos pelo seu personagem.

3. Quebrar os acordos coletivos do larp

Para um larp acontecer, é preciso que alguns acordos coletivos sejam estabelecidos entre os participantes – público e organização. Os acordos organizam a experiência e dizem às pessoas o que elas podem fazer durante o larp. Eles são pensados para proporcionar e potencializar as experiências sugeridas pela organização.

Se você quebra os acordos coletivos de um larp, você também está sendo um babaca. Se o acordo é que nenhum dos personagens irá matar outro, por exemplo, sacar uma arma e disparar contra alguém não faz de você um ousado transgressor, mas um babaca que não consegue respeitar acordos coletivos.

Todo acordo possui uma justificava. Se é combinado que os personagens não matarão uns aos outros, a experiência de assassinar ou ser assassinado não é relevante para o larp e existirão outras formas dos seus objetivos serem alcançados. Matar o personagem de outra pessoa, além disso, significa retirá-la do larp, o que pode ser extremamente frustrante para o participante.

Se mesmo assim você insiste em matar outro personagem, ou você não consegue pensar em outras maneiras de alcançar seus objetivos (e fico com medo de pensar em como você lida com seus problemas na vida real), ou você precisa frustrar a experiência de outras pessoas para se sentir realizado. Seja qual motivo for, isso indica que você tem problemas, cara.

Na vida cotidiana, o tempo todo precisamos respeitar acordos e geralmente fazemos isso. No larp é a mesma história. Apesar de algumas pessoas pensarem o contrário, o larp não é um espaço mágico onde tudo é permitido e podemos agir livremente sem obrigações. O larp não é o lugar para extravasar as frustrações da sua vida real e satisfazer seu ego, desconsiderando a organização e os outros participantes. Se você está atrás disso, veio para o lugar errado, cara. Vá procurar terapia. Caso queira continuar representando personagens, recomendo inclusive que conheça o psicodrama.

Larp é compromisso. Com a organização e com os outros participantes. Para que cada um possa aproveitar ao máximo a experiência, seus acordos precisam ser respeitados por todos. É a velha história da liberdade que termina quando começa a do outro.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s